O patrimônio cultural de uma cidade é o conjunto das manifestações produzidas socialmente ao longo do tempo, seja no campo das artes, nos modos de viver, nos ofícios, festas, lugares ou na paisagem da própria cidade, com seus atributos naturais, tangíveis, intangíveis e edificados.

As edificações, o traçado da cidade, o desenho dos passeios, as praças, o paisagismo, as manifestações culturais, os costumes, os saberes, celebrações e práticas culturais são referências simbólicas e afetivas dos cidadãos em relação ao espaço vivido, e constituem a imagem e a identidade de sua cidade.

Preservar o patrimônio cultural de uma cidade é manter viva as marcas de sua história ao longo do tempo e, assim, assegurar a possibilidade da construção dinâmica da identidade e da diversidade cultural daquela comunidade.

A partir de 2017, a cidade de Campestre incorporou o conceito de bem cultural às políticas de proteção do patrimônio cultural. A partir de estudos realizados sobre a formação, ocupação, modos de vida, história e tipologias arquitetônicas da cidade, foram definidos os conjuntos urbanos, nos quais encontram-se espaços, edificações e manifestações culturais de relevância. Essa pluralidade também se expressa nas opções construtivas, que podem abranger desde elaborados projetos arquitetônicos como também edificações que representam o desejo de seus proprietários e modos de vida constituídos no cotidiano da história da cidade.

Em novembro, a Prefeitura de Campestre, através do Departamento de Cultura, começa a divulgar os Patrimônios Culturais que o município detém; são eles:

 

Praça Delfim Moreira

 

Monumento de Nossa Senhora do Carmo

 

Câmara Municipal

 

Carros de Boi