A Universidade Aberta e Integrada de Minas Gerais, sede Campestre, idealizou o projeto ‘Terra da Gente’, que expôs sobre os processos do Café, produtos fabricados no município como o queijo, o uso da tecnologia no meio rural e o uso do próprio café (palha) de forma sustentável, voltado tanto para lavoura em forma de adubo, como na forma de combustível.

Com o produto Café, foram realizadas duas visitas técnicas; uma na Fazenda Mantissa, onde os presentes tiveram a oportunidade de ir até a lavoura e conhecer sobre os projetos de pesquisa, chegando aos terreiros de café, terreiros suspensos, estufas e maquinários de lavagem, secagem e beneficiamento, tudo supervisionado pelo Supervisor de Qualidade da fazenda, Leonardo Custódio.

A outra visita aconteceu no sítio da Senhora Ilma Muniz, com os alunos da Escola Municipal Cônego Artur. A turma teve a oportunidade de conhecer, na prática, o processo desde o plantio à comercialização do café, analisando o avanço da tecnologia no decorrer dos anos.

 

Visita à Fazenda Mantissa

Outro produto bastante comercializado em Campestre, o queijo, o projeto realizou uma visita no Laticínio Roseira, para conhecer o processo de fabricação dos queijos e os equipamentos utilizados. Foi concedida pelo senhor Kelvin, gerente do laticínio, uma entrevista detalhando todos os processos e os meios tecnológicos utilizados pela empresa.

No mesmo dia, uma oficina foi feita com alunos do Colégio Comercial Ilma Ambrogi Prado de “Como Fazer Queijo na Prática”.

A equipe do polo da UAITEC/CAMPESTRE deslocou-se à Fruticultura Flora, onde a administradora Alcione, durante caminhada pela lavoura, explicou a importância da empresa para o município e os processos de seleção dos frutos, higiene, equipamentos tecnológicos e embalagem dos mesmos. Os frutos produzidos são Pêssego, Nectarina, Nêspera, Atemoia e Caqui e são comercializados na região e também nos grandes centros como Belo Horizonte e São Paulo.

Para o encerramento da Semana, o projeto realizou a Oficina de Coleta Seletiva, onde os alunos da Escola Estadual Elias Jorge Zenun e do Colégio Municipal Cônego Artur aprenderam, na prática, sobre a coleta seletiva, reciclagem e valorização dos funcionários envolvidos no processo de recolhimento e separação de lixos. A oficina foi dirigida pela Diretora do Meio Ambiente Lilian Sobral, pelo Engenheiro Ambiental Eduardo Gonçalves e por funcionários da “ARCA” (Associação de Recicladores de Campestre).